Eilat

Ao ir para o extremo sul de Israel, você chega na em Eilat que é, basicamente, uma cidade turística.IMG_20170527_151400

Ao contrário de Tel Aviv, que é banhada pelo Mar Mediterrâneo, em Eilat você entra no Mar Vermelho. A água é limpíssima e transparente, e é possível ver muitos peixes por aí. Quando eu estava observando o mar de cima de uma ponte, eu vi uma Dory, digo, cirurgião-patela, nadando feliz (pontinho azul na foto ao lado)

O verão está chegando, e o sul é extremamente quente. Durante minha última passagem, o termômetro bateu os 40ºC, mas a tendência é ficar ainda mais quente, principalmente nos meses de julho e agosto.

Entre as atividades que você encontra em Eilat eu acabei indo no observatório, mas você pode: nadar com golfinhos, alimentar golfinhos, mergulhar (scuba diving), fazer snorkeling, praticar esportes aquáticos diversos, entre outras.

No Coral Park, existem diversos locais para visitar. O que eu mais gostei foi o observatório de baixo d’água e o “Mundo dos tubarões”. No observatório, existem várias janelinhas em que você pode ver os peixes e corais em seu habitat natural, o que é bem bonito. No “Mundo dos tubarões”, existem grandes aquários cheios de tubarões e outros animais marinhos!IMG_20170527_145202

Se você quiser, também pode assistir a um filme sobre os tubarões. É daqueles que a cadeira se mexe de acordo com o “ritmo” do filme. Não é o ponto mais forte do parque, mas vale ir se já estiver por lá. O valor da entrada é de 100 shekel sem o filme e 110 com o filme (no site os valores têm desconto).

À noite, os bares e baladas ficam lotados de locais e turistas. Para quem gosta de lugares cheios e música, é uma boa pedida. Caso contrário, existem bares de narguilé que são mais sossegados, ou você pode tomar um sorvete e andar na praia também.

A praia é de pedras, então é bem complicado andar. O mar quase não tem ondas e é muito gelado, mas é tão quente fora da água que você mal sente. É difícil encontrar uma sombra na parte das praias perto dos hotéis, já que toda sombrinha tem um dono que cobra um precinho salgado por ela.

Com certeza é um lugar que vale a pena visitar pelo menos por um final de semana.  A viagem é longa de ônibus ou carro mas, se você quiser, é possível ir de avião.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Negev + Festival de Música

Israel é um país bem pequeno, e tem apenas 20.770 km² de extensão. O estado de Sergipe tem 21.910 km².

Apesar disso, a geografia local é bem diversa. No inverno, é possível encontrar neve no norte do país e, ao mesmo tempo, ao sul temos… deserto. Sim, deserto.20161104_110315

O Negev é o nome dado ao deserto daqui, que ocupa mais da metade do território. Muitas cidades se espalham pela região e há até uma universidade, a Universidade Ben-Gurion do Negev, localizada em Beer-Sheva (באר שבע).

É possível fazer diversas caminhadas e passeios no local. Você pode até conhecer os beduínos que moram por lá e, claro, camelos.

A paisagem não muda muito, afinal, é um deserto. Montes, montanhas, rochas e areia. Ainda assim, é possível encontrar a flora local, que se adaptou bem à região.

Durante o tempo que passei aqui, fiz diversos passeios nesse quente (e frio) e deserto. Entre eles: rapel em Mitzpe Ramon (מצפה רמון), passar a noite em uma tenda beduína, caminhada no deserto na região de Eilat e, o meu favorito, um festival de música.

20161028_104903Em outubro de 2016, eu e um amigo fomos ao festival InDnegev, como o nome diz, um festival de música indie. Muitas das bandas cantavam em inglês então a língua não foi um problema nesse quesito. Pegamos uma barraca emprestada e começamos nossa aventura de 3 dias de festival. Foram 3 horas, 2 ônibus e ainda fizemos amigas alemãs no caminho.

Como chegamos à noite, estava meio frio. Armamos a barraca defeituosa, jogamos a comida dentro, e fomos aproveitar o festival. A primeira música que eu ouvi era em português, e as pessoas curtiram muito.

Como a barraca foi ao chão na segunda noite, eu me enrolei em um cobertor e dormi na areia. Acordei com um Besouro olhando para a minha cara (ou ele só queria passar por cima de mim mesmo).

O ponto alto da viagem foi ver o sol nascer enquanto a cantora Nessi Gomes realizava sua apresentação. É de tirar o fôlego. Depois disso, enquanto a maioria das pessoas ainda dormia, eu fui conferir as outras atrações. Como era cedo, a banda que eu fui ver, “Jewish Monkeys”, não tinha plateia suficiente. Depois de uma música eles pararam e esperaram mais pessoas.20161029_065704

Entre as atividades realizadas nesse meio tempo, percebi que as pessoas gostavam de: desenhar, jogar frisbee, e brincar de bambolê (e elas são muito boas nisso).

No último dia, meu amigo queria ficar mais e eu já precisava de um banho. É difícil ficar dois dias sem banho, só no baby wipes e no shampoo seco. Havia alguns chuveiros mas eu não fui preparada para banhos de verdade.

Como os ônibus iam demorar para começar a passar, eu sentei na frente da saída mostrando uma folha que consistia em um pedido de carona para Tel Aviv. Em meia hora eu consegui, e duas meninas e um menino super gentis me ofereceram uma carona. Não precisei nem pagar a gasolina e cheguei em casa sã e salva.