Eilat

Ao ir para o extremo sul de Israel, você chega na em Eilat que é, basicamente, uma cidade turística.IMG_20170527_151400

Ao contrário de Tel Aviv, que é banhada pelo Mar Mediterrâneo, em Eilat você entra no Mar Vermelho. A água é limpíssima e transparente, e é possível ver muitos peixes por aí. Quando eu estava observando o mar de cima de uma ponte, eu vi uma Dory, digo, cirurgião-patela, nadando feliz (pontinho azul na foto ao lado)

O verão está chegando, e o sul é extremamente quente. Durante minha última passagem, o termômetro bateu os 40ºC, mas a tendência é ficar ainda mais quente, principalmente nos meses de julho e agosto.

Entre as atividades que você encontra em Eilat eu acabei indo no observatório, mas você pode: nadar com golfinhos, alimentar golfinhos, mergulhar (scuba diving), fazer snorkeling, praticar esportes aquáticos diversos, entre outras.

No Coral Park, existem diversos locais para visitar. O que eu mais gostei foi o observatório de baixo d’água e o “Mundo dos tubarões”. No observatório, existem várias janelinhas em que você pode ver os peixes e corais em seu habitat natural, o que é bem bonito. No “Mundo dos tubarões”, existem grandes aquários cheios de tubarões e outros animais marinhos!IMG_20170527_145202

Se você quiser, também pode assistir a um filme sobre os tubarões. É daqueles que a cadeira se mexe de acordo com o “ritmo” do filme. Não é o ponto mais forte do parque, mas vale ir se já estiver por lá. O valor da entrada é de 100 shekel sem o filme e 110 com o filme (no site os valores têm desconto).

À noite, os bares e baladas ficam lotados de locais e turistas. Para quem gosta de lugares cheios e música, é uma boa pedida. Caso contrário, existem bares de narguilé que são mais sossegados, ou você pode tomar um sorvete e andar na praia também.

A praia é de pedras, então é bem complicado andar. O mar quase não tem ondas e é muito gelado, mas é tão quente fora da água que você mal sente. É difícil encontrar uma sombra na parte das praias perto dos hotéis, já que toda sombrinha tem um dono que cobra um precinho salgado por ela.

Com certeza é um lugar que vale a pena visitar pelo menos por um final de semana.  A viagem é longa de ônibus ou carro mas, se você quiser, é possível ir de avião.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

E os finais de semana?

Primeiro, eu tive que me acostumar com o fato de que: Quinta é sexta, sexta é sábado, e domingo eu trabalho. Ou seja, enquanto as pessoas assistem “Domingão do Faustão”, eu estou trabalhando – caso não houvesse fuso horário.

O ideal por aqui, é sair na quinta-feira à noite, uma vez que do final do dia de sexta até o começo da noite de sábado os ônibus não circulam por motivos de: Shabat. Sair sexta-feira é sinônimo de andar muito ou gastar 1/3 do valor do seu rim com táxis (que vão tentar tirar cada centavo de turistas).

Não sou a pessoa mais festeira do mundo, então dicas das melhores baladas vão ficar para a próxima vez, mas existem outras coisas para se fazer por aqui.

18471180_1549794185053457_1648080127_n

Cada pessoa tem suas preferências, mas uma é quase unânime: praia no verão. Sexta-feira sem ônibus? Uma caminhada de 30 minutos e chego na Banana Beach – uma praia de Tel Aviv. Passar o dia/tarde na sombrinha ou no sol, se você quiser dar aquela torrada, é um ótimo plano muitas vezes.

18447730_1347762028605562_1902219298_nEm Yafo, temos o Shuk Hapishpeshim (nosso mercado das pulgas), que durante a semana tem várias lojas de artigos usados, souvenirs e restaurantes pela manhã. Nos finais de semana à noite a figura muda, e o espaço dá lugar a bares descontraídos e lotados. O meu preferido é o Akbar, que tem musicas boas, bom atendimento, e batatinhas fritas com queijo e limão.

 

Recentemente comecei a ir a um evento de “troca de idiomas” chamado FluenTLV, onde eu me inscrevo como embaixadora da minha língua nativa – português – e ajudo pessoas que sabem o básico a praticarem. Na outra parte da noite eu vou praticar meu pobre hebraico. É uma boa opção para o sábado a noite.

18448045_1549824888383720_1512100171_n

 

Sair sozinha aqui não é um problema. Se não tiver ninguém para sair com você, só vai. Existem centenas de bares na Rothschild – sou fã do Polly – ou na Allenby, sempre lotados e cheios de pessoas simpáticas. Sair de algum deles sem bater papo com alguém é impossível. Se você, assim como eu, tem um lado meio geek, o Potion Bar é o seu lugar. Bebidas temáticas servidas em recipientes de poções e hidromel esperam os visitantes – além do bom atendimento e a mesa de sinuca.

18471590_1549819355050940_1459870918_n

Sempre existem eventos diversos acontecendo pela cidade, e só procurar o seu. O melhor lugar para isso é o Secret Tel Aviv, que sempre conta com uma lista atualizada do que está acontecendo na cidade. Você também pode pegar esse cartão deles, que dá direito a descontos e promoções em vários lugares.

 

Por vezes, você pode acabar andando por aí e descobrindo eventos e atividades das quais não tinha conhecimento. Eu, por exemplo, acabei vendo a “Marcha das Vadias” daqui em uma caminhada sem destino.

18471243_1549830455049830_1752692715_n